domingo, 29 de janeiro de 2017

Play Test posição final.

Tropas dos caboclos cercam os combatentes do Governo.
Government troops are surrounded by Rebels (white).



segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Play test. Fase de testes do jogo.

Durante essa semana enviarei uma cópia do teste para cada um dos 3 amigos que se prontificaram a me ajudar nessa árdua tarefa que é testar um jogo: encontrar as falhas e propor melhoras na jogabilidade. Boa sorte amigos.


segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Versão idealizada do herói.

Nesse quadro pintado sobre o Combate do Irani, podemos ver todos os elementos principais da batalha.


O comandante das tropas do governo do Paraná, Coronel João Gualberto, aparece à frente , empunhando sua espingarda e com a mão na cintura. Uma improvável pose para a "foto" no momento que vemos ao fundo centenas de caboclos atacando as tropas oficiais. O quadro também ressalta a "infeliz" metralhadora Maxim alemã que está "engasgada", sem disparar um tiro sequer.
Menos que 70 soldados das Forças de Segurança do Paraná se defrontam com aproximadamente 300 caboclos armados com revólveres, espingardas de caça e principalmente facões.....
Uma batalha com elementos de guerra colonial...
Creio que o outro oficial em segundo plano, de espada em punho, seria o então Tenente Joaquim Sarmento, que depois , por conta do heroísmo em combate, foi instituido como patrono da Polícia Militar do Paraná.

domingo, 8 de fevereiro de 2015

Final de jogo - Teste - Playtest

Nesse final de jogo, no turno 3 , as tropas do Governo venceram.
Embora entenda que parece ser um fim "prematuro" considerando os "wargames" em geral, as condições de vitória que defini levaram a este fim de jogo. A grande questão nesse jogo é: a quem esse jogo se destina? . Entendo que se destina à alunos das  aulas de história a partir da 5ª série. A ideia do jogo é "ensinar história jogando a história...". Como tem que ser um jogo objetivo , rápido, o final prematuro não atrapalha a jogabilidade. Quero que as pessoas aprendam história com meus jogos e se divirtam. Não que eu não tenha jogos mais complexos em mente...Porém, "O Combate do Irani" é um jogo simples , para ensinar o conflito, sem muitos detalhes, sem esquecer a historicidade. Tenho mais 3 jogos em preparo, mais "bacanas" e elaborados...aguardem.

Situação final das peças:



As tropas do Governo (azuis) conseguem manter sua posição. Os caboclos (brancos) perderam muitas unidades, inclusive seu líder, José Maria. 

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Posição inicial.

As Forças de Segurança do Paraná amanheceram no local conhecido como "Banhado Grande". O comandante Coronel Gualberto posicionou suas tropas de costas para o banhado. Tinha ouvido tiros vindo das matas à sua frente. Não acreditava que poderia ser "flanqueado" pelos caboclos, pois achava o banhado impassável. Na verdade desconhecia a existência de uma "estiva", uma passagem seca , pequena ponte, sobre o banhado. Por ali os caboclos puderam cercar as tropas do governo...

Além dessa convicção, o Coronel Gualberto desconhecia a força inimiga. Não tinha ideia da real quantidade de caboclos que estavam na localidade. Por isso , na madrugada, ao invés de pedir os reforços que estavam na cidade de Palmas (mais de 100 soldados) preferiu com sua força de 70 homens ir ao encontro dos caboclos.

Ele sabia que havia inferioridade numérica, porém não tanta. Fala-se em até 400 caboclos no ataque.
Todavia, para compensar a inferioridade que ele supunha , tinha uma "arma secreta" uma metralhadora Maximm. Com poder de fogo de 400 tiros por minuto, essa arma faria a diferença no combate. Algo que lembraria as guerras coloniais na África...Hordas de nativos com lanças e facas sendo dizimados pelas metralhadoras dos soldados colonizadores, geralmente em menor número.

No entanto, naquela madrugada, horas antes da batalha, uma das mulas que carregava as partes da metralhadora derrubou sua carga no rio. A parte que caiu, a fita dos cartuchos , feita de um material próximo a papelão, absorvente, molhou.

No momento do combate, no entanto, a metralhadora "engasga", a fita úmida não secara totalmente, havia "inchado" pela água.

Cercado pelos caboclos ( eles flanquearam as tropas pelo banhado) e vendo a metralhadora falhar, vendo o bando dos caboclos se aproximando, mais de 300 homens, enfim, em segundos vendo toda sua estratégia se acabar...dizem que o Coronel Gualberto gritou para seus homens: "Peguem as armas meus filhos, estamos perdidos, mas tenham coragem..."



Na posição inicial do jogo, optei por iniciar (set-up)  no momento em que alguns caboclos (peças brancas) já estavam em posição minutos antes do ataque. Escondidos pela mata (terreno verde) eles tinham atirado contra as tropas, nesse momento o Coronel Gualberto (peças azuis)  manda formar a linha de defesa, de costas para o banhado e apoiada em duas elevações. João Gualberto fica próximo de sua "jóia" , a metralhadora na elevação à direita.  No centro ele posiciona sua linha de infantes e cavaleiros. A metralhadora está á direita e a na elevação à esquerda ele posiciona o Tenente Miranda com sua cavalaria. Os caboclos movem primeiro. Tem a iniciativa histórica do combate...


domingo, 25 de janeiro de 2015

Combate do Irani. Livro.

Um bom livro para entender o que foi o Combate do Irani. Conta muito os depoimentos dos envolvidos no combate pelo lado dos Caboclos. Os relatos são baseados nos depoimentos do inquérito aberto pela polícia após o Combate.
Livro: "O mato do tigre, o campo do gato" (Celso Martins)
Comprei em uma das minhas visitas ao Museu da Guerra do Contestado em Caçador, SC.



sábado, 24 de janeiro de 2015

Documentário sobre o Contestado.

Para conhecer um pouco mais sobre o conflito e sobre o jogo que estou desenvolvendo.

https://www.youtube.com/watch?v=UXOdIYxhgT8

Realmente não tinha percebido até hoje um detalhe que o historiador fala no vídeo.
Esse Combate é talvez o único na história em que os dois líderes morrem...


Reunião dos caboclos, antes do combate.